Como armazenar sementes na fazenda? Entenda mais!

armazenar sementes na-fazenda

Como armazenar sementes na fazenda? Entenda mais!

Armazenar sementes é fundamental para obter bons resultados em plantações de diversos tipos. Sendo assim, realizar essa atividade com excelência é uma necessidade para fazendeiros que almejam progredir continuamente.

Criamos este post para entender melhor as muitas as variáveis que agem sobre a efetividade do armazenamento de sementes. Vamos lá?

As dificuldades de estocar sementes

Nem todos sabem, mas o armazenamento de sementes exige determinados cuidados que interferem substancialmente na qualidade e na quantidade dos produtos colhidos na plantação.

A semente é um ser vivo que, justamente por essa condição, tem demandas para se manter germinando. Por conta disso, ter conhecimento sobre as condições adequadas para a preservação das sementes é fundamental para uma armazenagem eficaz na sua fazenda.

Muitos fazendeiros, equivocadamente, mantêm suas sementes em galpões e armazéns que, por mais que tentem ser limpos e frescos, contam com impurezas e variações bruscas de temperatura interna. Além disso, também é comum encontrar pragas e infiltrações nesses locais.

A importância de uma conservação eficiente

Por mais que o custo de compra das sementes seja relativamente alto — sobretudo quando compradas de sementeiras especializadas —, esse não é o fator mais importante que justifica um armazenamento minucioso.

A importância do armazenamento de sementes está mais em toda a quebra da cadeia logística do que possíveis falhas de germinação podem acarretar.

Caso uma semente falhe, os produtos não vão crescer da forma desejada, a colheita será menor do que a de outros fazendeiros que foram mais criteriosos e, por fim, o lucro final obtido com a plantação será menor.

Para se citar um exemplo mais palpável: no estado do Mato Grosso, os fazendeiros trabalham, normalmente, com os ciclos de plantio da soja e do milho. Por questões logísticas e meteorológicas, esse período se dá da seguinte forma:

  • entre 15 de setembro a 15 de novembro: nesse período, os agricultores fazem monitoramentos meteorológicos e, no momento em que julgam adequado, dão início ao plantio da soja;
  • entre 05 de janeiro a 15 de março: já no início do ano seguinte acontece a colheita da soja e, simultaneamente, o plantio do milho. Dependendo do tamanho da área plantada, essa fase pode durar até meados do mês de março;
  • entre 15 de junho a 15 de julho: o milho é colhido alguns meses depois, sendo um procedimento mais tranquilo, já que nenhuma semente é plantada ao mesmo tempo;
  • entre 01 de maio a 15 de setembro: ocorre um vazio sanitário que se estende até o início de novembro, quando, finalmente, outro ciclo de soja e milho tem início.

Com os processos apontados acima, você pôde observar que esses tipos de plantações trabalham, antes de tudo, com planejamentos extremamente logísticos. Caso algum procedimento falhe, toda a cadeia de atividades fica comprometida de forma irreversível.

Nesse contexto, o armazenamento adequado das sementes e a decorrente fertilidade obtida é imprescindível para o sucesso das fazendas, já que isso pode afetar positivamente várias outras fases e gerar despesas ainda maiores do que no momento de sua compra.

5 dicas para armazenar sementes

Agora que já falamos das principais dificuldades de armazenar sementes e da importância de realizar uma conservação eficiente, daremos algumas dicas que você deve adotar caso queira colher os frutos de um bom armazenamento. Confira:

1. Temperatura

A 1ª e principal das dicas é: as sementes necessitam ser armazenadas em ambientes com temperaturas que giram em torno de 15 ℃, condição que potencializa seu poder de germinação.

Assim, em regiões como a centro-oeste do país (onde a temperatura varie entre 35 ℃ e 45 ℃ durante o dia), uma alternativa interessante é a utilização de um ar-condicionado para o controle da temperatura interna do ambiente. Eles evitam que as sementes sejam relegadas a variações externas e que a capacidade de polinização seja prejudicada.

Nesse sentido, mesmo o ar-condicionado split, que consome bem menos energia do que, por exemplo, o motor de refrigeração de 16hp, atendem aos objetivos. Levando em conta, claro, que o local de armazenamento não seja excessivamente grande.

2. Umidade

Outro ponto a se destacar diz respeito à umidade dos lugares em que as sementes são armazenadas.

O indicado é que o local seja hermético para que, além de contar com um isolamento térmico, o fazendeiro seja o próprio responsável por insuflar e ajustar a temperatura interna.

Assim, como a umidade do ar é muito relativa, pode-se controlá-la internamente para que a semente não seque demais e isso seja prejudicial às suas condições ideias.

3. Limpeza

A limpeza do ambiente é outro fator fundamental para o armazenamento das sementes.

Como é comum que as estocagens sejam feitas em fazendas, a infestação de bichos e pragas é um problema a ser monitorado.

Locais herméticos e melhor planejados, por sua vez, têm esse problema reduzido significativamente. Neles, é possível haver um controle sanitário muito mais minucioso, evitando a perda de materiais no geral.

Por conta das sementes de milho serem mais sensíveis, por exemplo, a proliferação de caruncho é bastante comum. Ela pode ser evitada quando há a estocagem em ambientes fechados.

4. Circulação de ar

Visando realizar um armazenamento de sementes mais eficiente, muitos fazendeiros abusam nas quantidades de sacos armazenados em um mesmo local.

É imprescindível ter em mente que a circulação do ar faz muita diferença para o armazenamento das sementes, já que refresca o ambiente de forma homogênea e confere condições iguais a sementes que estejam em diferentes locais.

Assim, guardar os sacos de forma paletizada (em cima de estrados de madeira) — o que propiciem a circulação do ar — é fundamental para o melhor potencial de germinação de todas as sementes armazenadas.

5. Container

A última dica se refere à utilização de containers para o armazenamento de sementes. Considerados como uma nova forma de construir, eles são bastante práticos para cumprir todas as indicações apontadas acima.

Além disso, são bastante efetivos para a estocagem: um exemplar de 76 metros cúbicos pode comportar até 2.160 sacos de 20 quilos.

Eles são herméticos, facilmente higienizáveis, comportam instalação de ar-condicionado e podem ser empregados, inclusive, em casos de urgência. Caso um barracão seja destelhado por um vendaval, por exemplo, os containers são soluções ágeis para que as sementes sejam realocadas sem perda de qualidade.

Além disso, os containers também têm a vantagem de serem móveis e bastante resistentes, sendo duráveis por um período maior que 100 anos.

Este post te ajudou a compreender como armazenar sementes na fazenda? Então compartilhe-o nas suas redes sociais e faça com que mais pessoas se beneficiem desse conhecimento!