5 dicas para otimizar os custos da construção

5 dicas para otimizar os custos da construção

Quando se pensa em construção, muita gente logo associa o termo a gastos excessivos e imprevistos. Alterações no projeto, vigilância e orientação dos operários, compra de materiais e desembolso de valores não planejados, muitas vezes, fazem parte da realidade de quem deseja construir. Esses fatores podem, ainda, representar elevado dispêndio de dinheiro.

Em períodos de grandes oscilações nos custos próprios da construção civil, essas complicações podem trazer consequências ainda maiores.

Contudo, desperdícios podem ser minimizados ou até mesmo evitados. Para isso, é preciso um bom planejamento financeiro e logístico, de maneira que a obra não se torne aquele bicho de sete cabeças.

Neste post, você vai conhecer 5 dicas para otimizar custos da construção e fazer seu dinheiro render mais. Confira!

1. Preze pela sustentabilidade em sua obra

Adotar medidas que visem à sustentabilidade nas construções, além de ser uma tendência atualmente, é uma forma de evitar custos desnecessários. Desperdícios de água, de materiais e de energia elétrica podem ser contidos por esse meio.

Pensando nisso, invista em estações que armazenem e tratem as águas utilizadas na obra, permitindo, assim, o seu reuso na própria atividade desenvolvida.

É importante também considerar a possibilidade de venda de materiais remanescentes que, posteriormente, podem servir de matéria-prima para outras atividades. Esse pode ser um meio de obter de volta parte dos valores despendidos no curso da construção.

Ainda, busque promover economia de energia elétrica, conscientizando os colaboradores da obra sobre os prejuízos de se deixar máquinas e equipamentos ligados quando não estiverem em uso.

Considere, também, adotar fontes alternativas como a solar, por exemplo. Ela poderá, inclusive, ser aplicada na construção pronta, futuramente.

Outra medida que você pode adotar para colaborar com o meio ambiente e reduzir custos é a gestão de resíduos. Sabe aquela matéria-prima cuja essência já foi utilizada e acaba deixando sobras que, a princípio, parecem inúteis? Algumas vezes não são.

A gestão, inclusive, é determinada pelo CONAMA — Conselho Nacional do Meio Ambiente, por meio da Resolução nº 307. Essa norma estabelece obrigações para os geradores de resíduos e para os municípios.

Os responsáveis pelas obras devem ter como objetivo principal a não geração dos detritos e, caso isso ocorra, deverão ser promovidas a redução, a reutilização, a reciclagem e a destinação final. Já para os municípios fica a responsabilidade de geri-los por meio do Plano Integrado de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil.

A partir da redução, os resíduos podem ser quebrados e depois triturados para que o seu volume seja diminuído. Com a reutilização promove-se o reprocessamento e a reinstalação de materiais, sem que haja remanufatura. Já com a reciclagem é possível transformá-los em novos produtos comerciais a partir da completa remanufaturação.

Além de colaborarem com o meio ambiente, essas medidas ajudam a aproveitar melhor os recursos disponíveis, que são finitos. Evitam-se, dessa maneira, desperdícios e, consequentemente, perdas financeiras.

2. Previna furtos de materiais no canteiro de obras

Você que pretende ou está fazendo obras sabe que alguns materiais empregados custam caro. Por esse motivo, eles podem ser alvo de furtos, para que sejam vendidos posteriormente de forma clandestina.

Diante disso, a segurança da obra é importante. Assim, invista na contratação de vigilantes de confiança, treinados e atentos para o zelo dos materiais.

Além do elemento humano, é interessante pensar em mecanismos tecnológicos de segurança também. Por isso, cogite instalar câmeras e outros instrumentos de vigilância eletrônica no interior e na parte externa da construção.

Essas medidas permitirão aumentar a proteção da obra e assegurarão que nada escapará aos seus cuidados, evitando prejuízos.

3. Use e abuse das tecnologias a seu favor

Novas tecnologias surgem todos os dias para facilitar a sua vida. E isso não pode ser diferente quando se trata de construção.

Visando melhorar a eficiência da obra e otimizar custos, a utilização de mecanismos tecnológicos é muito bem-vinda.

Por isso, considere utilizar modelos virtuais de edificação, como o software BIM (Building Information Modeling), que permite simular a construção em todas as suas etapas. Por meio dele é possível sofisticar projetos, tornando o processo mais rápido e mais barato.

Consiste em um mecanismo por meio do qual falhas podem ser previstas e corrigidas antes mesmo da execução da obra, evitando desperdícios.

A utilidade de softwares como esse é potencializada quando se tem aplicativos para dispositivos móveis que facilitam a gestão de obras. Isso porque permitem o controle da execução, bem como adequá-la ao que fora planejado.

4. Considere substituir o tradicional e trabalhoso pelo moderno e prático

Que tal substituir os problemas que as obras de alvenaria podem apresentar pela praticidade, rapidez e baixo custo que os containers oferecem?

Além de gerar poucos resíduos, obras que utilizam container representam menor tempo de construção e eliminação de gastos excessivos e imprevistos.

Isso porque, por serem estruturas pré-fabricadas, os containers não produzem muitos detritos. Além disso, são de fácil instalação, reduzindo o prazo de execução da obra.

Ademais, as despesas necessárias são mais previsíveis quando comparadas com as obras de alvenaria. Isso devido à menor possibilidade de variação dos custos, já que podem ocorrer, nas obras tradicionais, imprevistos como:

  • atraso na entrega;
  • alteração nos preços dos materiais;
  • necessidade de reorganização do planejamento, entre outros.

Isso não se vê nas obras envolvendo containers.

Somados à previsibilidade estão os menores gastos despendidos em relação às construções em alvenarias. Essa situação se explica pela desnecessidade, em obras com os módulos metálicos, de compra de materiais, pagamento de fretes, contratação e dispêndio de valores com transporte, acomodação e alimentação de colaboradores, etc.

Outro ponto que coloca as obras com container em posição de superioridade envolve o planejamento e a execução.

Enquanto nas de alvenaria é necessária a contratação de diversos fornecedores, no caso das estruturas metálicas o negócio é feito com apenas uma empresa, de forma direta. Isso claramente facilita toda a logística do processo de construção.

Há, ainda, a possibilidade de incrementações futuras. Caso você opte por promover sofisticações em sua edificação, a construção em alvenaria apresentaria limitações. Isso porque exige uma base consistente já no momento em que é feita.

O container, por sua vez, sendo empilhável, permite o acréscimo de unidades sobre a sua estrutura em ocasiões futuras.

5. Planeje o sistema hidráulico e o acabamento de forma eficiente e econômica

No planejamento da obra, estabeleça uma disposição em que espaços como cozinha, banheiros, área de serviços e lavatórios estejam próximos uns dos outros.

Dessa forma, você economizará na quantidade de materiais a serem utilizados para elaborar a estrutura hidráulica da sua edificação. Outro benefício é a redução do tempo para que esses ambientes fiquem prontos.

O mesmo vale para o acabamento de toda a construção. Busque, sempre que possível, aplicar o mesmo tipo de revestimento para a maior parte dos cômodos, para que se evitem desperdícios e gastos desnecessários.

Lembre-se: uma obra eficiente e econômica exige otimizar custos da construção. Pensando nisso, e colocando em prática estas dicas, você conseguirá passar por qualquer processo de construção sem complicações.

Este post foi útil para você? Compartilhe estas dicas em suas redes sociais!