6 dicas para fazer a armazenagem de grãos de forma eficiente

6 dicas para fazer a armazenagem de grãos de forma eficiente

6 dicas para fazer a armazenagem de grãos de forma eficiente

Depois de todo o investimento realizado na produção da lavoura e na colheita, chega a hora da armazenagem de grãos na fazenda. Essa tarefa deve consolidar o êxito alcançado nas operações até então.

Assim, o cuidado e a boa técnica precisam estar presentes nessa hora para evitar perdas e garantir a qualidade dos grãos armazenados. Com isso, você pode comercializar a produção no momento que julgar mais adequado, com a certeza de manter bons produtos.

Acompanhe a leitura deste artigo e conheça seis dicas para fazer a armazenagem de forma eficiente na fazenda.

1. Secar até o teor adequado de umidade

Um dos grandes inimigos de grãos armazenados é o seu próprio teor de umidade. Para cada tipo de grão existe uma quantidade máxima de umidade. Acima desse valor, criam-se condições para o desenvolvimento de microrganismos responsáveis pela deterioração do produto.

Dessa forma, é essencial conhecer os teores de umidade a que os grãos precisam ser reduzidos para seu adequado armazenamento. Os processos de secagem, então, devem garantir que a redução prevista seja alcançada.

Isso significa que os grãos só devem ser estocados após terem perdido tanta umidade quanto necessária para alcançarem os teores adequados para tal. Esse é o primeiro e principal cuidado para o qual não podem haver falhas.

Considere que os níveis ideais devem ser ainda menores se o tempo de estoque previsto for maior que um ano. Existem técnicas e equipamentos próprios para esse trabalho que devem anteceder à armazenagem dos grãos.

2. Melhorar a aeração

Quando o grão vai para o armazenamento, seus teores de umidade já foram reduzidos, mas necessitam permanecer em um ambiente aerado. Essa medida é tão importante quanto a secagem feita anteriormente.

A aeração, por sua vez, é a passagem forçada de ar no ambiente entre os grãos estocados. Seu principal objetivo é manter estável e razoavelmente uniforme a temperatura e, do mesmo modo, a umidade do ambiente.

A adoção de um sistema de aeração deve levar em consideração as condições climáticas locais e, em especial, as temperaturas e a umidade relativa do ar. Do mesmo modo, a aeração deve ser planejada e orientada por técnicos experientes para que não ocorram perdas por falta de conhecimento adequado.

3. Controlar a temperatura constantemente

Os teores de umidade dos grãos e as alterações de temperatura estão diretamente relacionados entre si e afetam a qualidade das sementes. Assim, umidade excessiva provoca a fermentação dos produtos armazenados e a elevação da temperatura.

Por sua vez, quanto maiores as temperaturas, mais fácil é o desenvolvimento de microrganismos e o risco de deterioração dos grãos. Todos os processos metabólicos (a bioquímica dos seres vivos) se aceleram com aumento de temperatura, tanto para os fungos e as bactérias, como para os próprios grãos.

Do mesmo modo que a aeração, o controle da temperatura também será função das condições climáticas. Mas, como visto, deve considerar sempre as elevações de temperatura provocadas pela própria massa de grãos.

4. Armazenar em local adequado

O cuidado com o tipo de estrutura utilizada para o armazenamento de grãos é primordial. Não deve haver riscos de perdas e, portanto, o local de estocagem deve permitir e facilitar as medidas necessárias para um resultado adequado.

Existem algumas possibilidades para o armazenamento de grãos, que vão das tulhas rústicas aos silos comerciais. No entanto, uma solução prática e inovadora que é bem acessível é a utilização de container. Na verdade, um container na fazenda pode ser a solução para diversas situações.

Seu emprego para o armazenamento de grãos traz algumas vantagens que não podem ser desconsideradas:

  • tem custo menor que o da construção de uma estrutura para o mesmo fim;
  • pode dispensar o ensacamento fazendo uso da armazenagem a granel;
  • permite o fechamento robusto e seguro evitando furtos;
  • impede o acesso de roedores (ratos);
  • facilita as medidas de controle de pragas;
  • possui a mobilidade suficiente caso seja necessária a mudança de local.

5. Fazer o controle de pragas

Dependendo do grão, da região e da época do ano, pode ser grande a possibilidade de perdas significativas do produto armazenado. Essas perdas resultam, principalmente, da presença de insetos que podem comprometer toda a produção armazenada.

Desse modo, os cuidados com a desinfestação da estrutura onde será feito o armazenamento deve andar junto com as medidas de expurgo (tratamento das sementes contra insetos e microrganismos) realizadas nos próprios grãos. O controle precisa ser técnico e bem realizado por pessoal habilitado e experiente.

Para um efetivo controle das principais pragas ocorrentes em produtos armazenados é necessário um monitoramento frequente. Assim, torna-se possível identificar a presença de insetos junto aos grãos e tomar as medidas corretivas em tempo hábil.

O monitoramento deve ser mais intenso nos meses mais quentes do ano, quando a proliferação dos insetos aumenta. Nesse período, a instalação de algumas armadilhas pode ser uma medida de grande ajuda.

Outro cuidado a ser tomado diz respeito à permanente verificação da presença de ratos nas proximidades. Roedores, de modo geral, tendem a se instalar próximo às melhores fontes de alimento. Sementes armazenadas constituem o que há de melhor para esses animais e, portanto, a atenção deve ser redobrada.

6. Verificar as condições regularmente

Todo fazendeiro conhece o ditado: “o olho do dono é que engorda o boi”. Assim como o controle de custos na fazenda, a verificação regular das condições de armazenamento deve ser uma prática rotineira.

Nesse sentido, é muito vantajoso instruir todo o pessoal envolvido com a armazenagem, direta ou indiretamente. É essencial perceber qualquer alteração nas condições dos grãos estocados para que sejam tomadas as medidas efetivas.

Cuidados dessa natureza permitem reverter ou eliminar situações irregulares que apareçam, antes que causem prejuízos. Assim, é recomendável uma verificação semanal, observando-se:

  • existência de odores incomuns;
  • presença de crostas se desenvolvendo sobre os grãos;
  • presença de fungos ou bolores;
  • presença de insetos;
  • estabilidade da temperatura;
  • estabilidade da aeração;
  • sinais da presença de roedores.

Assim, essas dicas apontam importantes aspectos a serem considerados na armazenagem de grãos e devem ser consideradas com especial atenção. A segurança de toda a produção pode estar nesses detalhes.

Se você gostou deste post, vai se interessar em saber como escolher o tamanho do container