Container para obra: conheça as vantagens e saiba como escolher!

Container para obra: conheça as vantagens e saiba como escolher!

Praticidade, flexibilidade construtiva, redução de custos e de impactos no meio ambiente: essas são apenas algumas das vantagens no uso de container para obra. A tendência está ganhando cada vez mais espaço em diversos setores do engenho humano e continua provando seus benefícios.

Não é à toa que os containers na agricultura têm tido tamanha aprovação e que as moradias e escritórios feitos com essas estruturas de aço estejam sendo consideradas obras arquitetônicas inovadoras. Além de resistentes e duráveis, os containers são montados, desmontados, empilhados, transportados etc. Ou seja, são muito versáteis e dinâmicos.

Na construção civil não é diferente: eles podem ser utilizados para diversos fins e sempre se mostram como opções muito vantajosas. Por isso, fizemos um conteúdo completo sobre o assunto. Continue a leitura e confira como escolher o seu container.

Quais são as características dos containers para obra?

Antigamente, os containers eram destinados ao transporte de cargas, especialmente no modal aquaviário. A utilização para outros fins, como a armazenagem de materiais ou mesmo a habitação de pessoas, começou a ganhar destaque a partir da década de 1990.

Isso aconteceu porque naquela época a preocupação com o meio ambiente passou a se tornar uma prioridade. Foi em 1992 que a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento — a famosa Eco-92 — aconteceu e gerou importantes agendas de preservação ambiental.

Nesse contexto, os projetos arquitetônicos começaram a priorizar processos e materiais mais sustentáveis. A reutilização de estruturas foi uma tendência natural. Como os containers são altamente duráveis e resistentes, são classificados justamente como elementos de reuso, pois podem ser aproveitados para diversos fins e por muitos anos.

A grande sacada está na valorização do material com o qual são feitas as caixas. No uso náutico, o container tem vida útil de cerca de 8 anos, no entanto, a estrutura bem cuidada chega facilmente aos 100 anos de vida real. Portanto, a reutilização é uma forma de eliminar a inutilidade forçada desse recurso.

Nesse sentido, não demorou muito até que alguns segmentos percebessem as vantagens do uso dessas caixas de aço como construções. Em construções, por exemplo, os containers são excelentes soluções para substituição de edificações de alvenaria, na montagem de escritórios no canteiro e na organização de alojamentos temporários para colaboradores.

Quais são as vantagens de usar containers em obras?

Praticidade

Entre as vantagens do container na construção civil está a praticidade. Como são caixas de aço pré-fabricadas, eles já chegam prontos, bastando instalá-los e começar a usar. Dessa forma, dispensam etapas mais demoradas de processos construtivos, como a fundação tradicional, além de diminuírem a necessidade de mão de obra.

Um dos únicos cuidados essenciais é a preparação do terreno. A área que receberá o container deve estar nivelada e ser capaz de suportar o peso da estrutura e da carga que será armazenada (em caso de uso para depósito).

Além disso, é necessário prestar atenção se o espaço será capaz de garantir o acesso do caminhão que descarregará o container no terreno. Também é preciso verificar se haverá condições de realizar manobras dos guindastes para instalação.

O uso dessas estruturas também ajuda no andamento do cronograma da obra. Quando é preciso construir um barracão ou alojamentos temporários, as etapas são mais numerosas e, portanto, há um risco maior de atrasos, desde a entrega de materiais até o término dos acabamentos.

Versatilidade e mobilidade

Essa é provavelmente a característica mais marcante de um container para obra: a versatilidade. As caixas podem ser transportadas de um local a outro, servir para diversos fins e ainda serem empilhadas ou dispostas uma ao lado da outra como estruturas modulares.

Dessa forma, mesmo que o projeto exija uma expansão do alojamento de colaboradores ou a transferência do depósito de materiais para outro setor da obra, as estruturas são facilmente adaptadas conforme a nova necessidade. No mesmo sentido, as caixas podem ser reposicionadas (horizontal ou verticalmente) sempre que for conveniente

É importante destacar que quando vazios os containers são bastante leves. Por isso, o remanejamento geralmente é descomplicado e confortável, desde que seja observada a necessidade de espaço para os guindastes, como já foi citado.

Inovação

Utilizar o container para obra é sinônimo de inovação. Uma construtora ou empreiteira que está sempre se atualizando e buscando alternativas modernas certamente enxergará nessa opção uma ótima solução. Em um contexto como o nosso, em que o tempo é uma moeda muito valiosa, somente pela praticidade os containers já ganham notoriedade.

Além disso, são estruturas seguras, resistentes e multifuncionais: três características muito importantes na atualidade. Eles também são vantajosos por auxiliarem na execução inteligente de um projeto construtivo, pois aproveitam bem o espaço físico e são adaptáveis às diferentes necessidades de cada etapa da obra.

Redução de custos

O uso de containers é capaz de otimizar os custos na obra, desde a dispensa de materiais de alvenaria até a diminuição na contratação de mão de obra. Além disso, a durabilidade da estrutura permite que a construtora ou empreiteira faça o reúso futuro. Logo, a aquisição pode ser considerada um investimento.

Para instalação das estruturas, vale lembrar que é necessário contar com uma equipe especializada, no entanto, o número de colaboradores acaba sendo menor do que no caso de uma construção tradicional de um galpão ou de um alojamento, por exemplo.

Sustentabilidade

Por último, mas não menos importante, o uso de containers vai ao encontro das preocupações com a sustentabilidade não só na construção civil, mas em suas diversas aplicações em outros setores da sociedade. A começar pela sua característica de reuso, que elimina desperdícios significativos de materiais.

Especialmente nas obras, a quantidade de entulho — que corresponde a cerca de 60% dos resíduos sólidos gerados em centros urbanos — causa impactos negativos no meio ambiente. O uso de containers em substituição das estruturas de alvenaria reduz consideravelmente esse problema e, por consequência, o descarte inadequado.

Vale lembrar que a sustentabilidade engloba três dimensões: ambiental, social e econômica. Em relação a essas duas últimas, a redução de custos na obra e a possibilidade de proporcionar condições mais confortáveis para o trabalho e o descanso dos colaboradores são aspectos que também demonstram o perfil sustentável dos containers.

Como usar containers na obra?

O uso do container para obra é variado, pois as caixas são muito versáteis e podem substituir construções tradicionais para praticamente todos os fins. Veja quais são as aplicações mais comuns na construção civil:

Depósito de materiais

Provavelmente essa é a aplicação mais comum do container para obra. Um depósito de materiais serve para guardar máquinas, equipamentos, ferramentas, materiais de construção que não podem ficar ao ar livre etc.

Como a caixa é muito resistente aos agentes externos, protege bem os itens colocados dentro. Além disso, a rigidez da estrutura e o sistema de travas que acompanha o container permitem que os objetos fiquem guardados com mais segurança.

Essa característica é especialmente importante se levarmos em conta que os canteiros de obra geralmente ficam abertos e desertos durante a noite. Equipamentos, máquinas ou cabos podem ser facilmente furtados nessas condições.

Alojamento de trabalhadores

Dependendo do tamanho do empreendimento e da localização do canteiro, é possível que haja a necessidade de contar com uma equipe maior ou especializada. Nesse caso, os containers podem ser utilizados para acomodar os colaboradores que não moram nos arredores e eliminar a necessidade de deslocamento.

São muitas as vantagens de morar em container, tanto é que essas estruturas estão sendo largamente utilizadas na arquitetura para fins residenciais. Da mesma forma, são excelentes soluções para alojar os profissionais, especialmente se o trabalho for temporário.

Escritório

Em muitos casos a empreiteira ou construtora precisa que o escritório administrativo esteja próximo ao canteiro para fins de monitoramento, controle ou suporte à equipe de operação. A aplicação é bastante útil nos casos em que a construção fica afastada dos centros urbanos, de modo que o mestre de obras possa acompanhar ativamente a execução projeto.

container de escritório também tem a vantagem de ser móvel e prático. Então, é bem mais fácil criar um espaço de trabalho silencioso e isolado em meio à turbulência da construção, mesmo que os engenheiros, os arquitetos e outros funcionários estejam ao lado do canteiro.

Refeitórios

Levando em conta a qualidade de vida dos colaboradores durante a execução da obra, os containers podem ser customizados para servirem de refeitório e área para descanso, além de contarem com banheiros e cozinhas. Dessa forma os trabalhadores conseguem fazer suas refeições sem o improviso típico da construção civil.

Esse uso também dispensa a necessidade de deslocamento da equipe para restaurantes próximos na hora do almoço. O resultado é que a mão de obra tem mais conforto e os colaboradores se sentem mais motivados e descansados para prosseguir com o trabalho.

Substituição de alvenarias

Por fim, os containers podem ser utilizados como o próprio produto do projeto de construção. Não se deixe enganar pelo tamanho das estruturas, afinal, elas podem ser empilhadas e dispostas estrategicamente. Então, mesmo que a obra tenha grandes proporções, a substituição da alvenaria pelas caixas de aço modulares é bem-vinda.

Para se ter uma ideia, no município de Le Havre, na França, há uma cidade universitária inteira construída com containers. Os prédios têm quatro andares de caixas de aço empilhadas estrategicamente, de forma que o espaço entre cada uma sirva de terraço ou varanda. Cada unidade habitacional possui 24 m².

Usar containers em vez de construções tradicionais é muito mais rápido, barato e limpo. Uma casa de alvenaria gera muito entulho, consome mais material, exige uma mão de obra mais numerosa e leva até 4x mais tempo para ficar pronta do que uma habitação de container, por exemplo.

Quais são os tipos de containers?

Ao encomendar um container é possível escolher plantas maiores ou menores, com divisão de espaços, alturas diferentes etc. No entanto, normalmente as estruturas são padronizadas em 10, 20 ou 40 pés (aproximadamente 3, 6 e 12 metros, respectivamente) — sendo que esses dois últimos marcadores correspondem ao container standart ou padrão.

Além disso, há quatro tipos de containers classificados de acordo com suas funcionalidades e acabamentos. Veja quais são:

Container Almoxarifado

Container Almoxarifado é o modelo padrão e possui o melhor custo-benefício. Feita com aço carbono, a estrutura é bastante resistente e segura. Normalmente tem 10 pés e dimensões mais compactas, ideais para serem instalados em obras com espaço mais reduzido. Os usos mais comuns desse modelo por construtoras e empreiteiras é para:

  • depósitos e almoxarifado;

  • organização de escritórios;

  • transporte de cargas.

Como são menores, as caixas desse tipo podem ser facilmente transportadas, sendo ideais para instalação temporária, como geralmente ocorre na construção civil. Veja quais são as principais dimensões do Container Almoxarifado mais vendido pela Miranda Container:

  • 3,00 m de comprimento;

  • 1,50 m de largura;

  • 2,10 m de altura.

Container Dry Cargo (DC)

Container Dry Cargo é muito utilizado no setor agrícola, pois é muito útil como depósito de colheitas. Porém, ele pode ser usado em qualquer projeto que exija uma boa estrutura de armazenamento, sendo, por isso, bastante procurado na indústria alimentícia e na construção civil.

Normalmente, o DC tem 20 pés e é fabricado com aço corten, quase 2x mais resistente do que o tradicional. Devido a isso, ele lida muito bem com variações de clima, tempestades, ventanias e outras intempéries. O resultado é que ele pode ser mantido a céu aberto sem riscos de que a carga seja danificada.

O Conteiner DC Standart de 20 pés da Miranda Container tem as seguintes características principais:

  • 6,06 m de comprimento;

  • 2,44 m de largura;

  • 2,59 m de altura;

  • capacidade de carga de 21,78 kg.

Também há o modelo de 40 pés, com o dobro de comprimento e uma capacidade de carga de 28,80 kg. Além de ser muito resistente, o grande diferencial do DC é sua durabilidade, visto que, com cuidados regulares e manutenção frequente, esse container pode durar até 100 anos.

Container High Cube (HC)

Já o Container High Cube é muito semelhante ao Dry Cargo em sua estrutura, mas se diferencia pela altura, cerca de 30 cm maior. Devido a essa característica, ele comporta uma quantidade de carga maior. Também é por isso que o modelo é o preferido quando a aplicação envolve o uso humano, como:

  • organização de escritórios;

  • alojamento de colaboradores;

  • instalação de refeitórios;

  • habitação permanente;

  • construção de comércios e restaurantes etc.

Assim como o Dry Cargo, o Container High Clube é comercializado pela Miranda Container em 20 ou 40 pés. Veja as dimensões aproximadas do modelo maior e suas características de segurança:

  • 12,03 m de comprimento;

  • 2,35 m de largura;

  • 2,90 m de altura;

  • capacidade de carga de 28,57 kg.

Container Reefer

Por último, o Container Reefer (refrigerado) é o mais indicado para aplicações em que há necessidade de baixas temperaturas ou conservação de congelamento. Isso porque ele é fabricado com aço inox ou duralumínio e recebe uma camada de 10 cm de poliuretano para isolamento térmico.

Além disso, a caixa vem com um sistema de refrigeração acoplado, composto por um compressor, um condensador, uma entrada de ar, um controlador externo e um dispositivo de expansão e evaporação. Com essa estrutura, o Reefer é capaz de manter a temperatura interna estabilizada conforme regulagem (de -25ºC a 25ºC).

Esse modelo é muito utilizado no setor alimentício, em indústrias químicas e eletrônicas, na armazenagem de medicamentos etc. Na Miranda Container, o Reefer também é comercializado em 20 ou 40 pés, mas vale destacar que devido ao sistema de refrigeração a caixa acaba perdendo um pouco de sua capacidade interna de carga.

Como escolher o container ideal?

Apesar de já conhecer os modelos e as aplicações mais comuns, é normal que surjam dúvidas na hora de escolher o mais adequado para seu projeto. Afinal, como escolher o tamanho do container? É mais vantajoso comprar ou alugar a estrutura? Há alguma particularidade no acabamento? Por isso, veja um passo a passo para não errar na decisão e aproveitar as vantagens dessa alternativa arquitetônica.

Defina os objetivos

O primeiro passo para fazer uma boa escolha é definir seu objetivo no uso do container para obra. Essa definição é fundamental, visto que é ela que guiará a seleção do tamanho ideal para a estrutura, o modelo e os acabamentos, além de ser essencial na hora de escolher o local em que a caixa será instalada.

Escolha o modelo ideal

Se for usar um container para escritório, por exemplo, um modelo almoxarifado pode ser suficiente, além de ser mais barato. O High Cube também é bastante indicado para essa função, já que apresenta um espaço interno mais confortável para o uso humano.

Para o alojamento de colaboradores, o HC também é ideal. Dependendo da quantidade de trabalhadores, há modelos de containers com divisões de espaços e dimensões maiores para acomodar um grupo maior de pessoas.

Já se for utilizar como depósito de materiais ou cargas, o Dry Cargo costuma ser a melhor opção devido à sua resistência extra e segurança reforçada. No caso de materiais que precisam de conservação térmica, não é difícil imaginar que o modelo ideal é o Reefer, não é?

Decida entre novo ou usado

Inicialmente, os containers eram sempre reaproveitados após seu uso marítimo. No entanto, com o crescimento dessa tendência em diversos segmentos, algumas empresas começaram a fabricar estruturas novas para comercialização. Por isso, você tem a opção de comprar caixas novas ou usadas.

Nesse último caso, alguns cuidados são necessários, como verificar a procedência do container. Saber o que ele já transportou é essencial, pois pode ser necessário descontaminar a caixa se houver histórico de carga química. Também vale analisar bem se não há amassados e corrosões e se as travas estão funcionando.

A empresa que comercializa precisa apresentar um certificado emitido pelo Institute of Internacional Container Lessors (IICL) para comprovar que o container passou por inspeção técnica. Se preferir, também há a possibilidade de alugar as caixas para uso temporário.

Cuide do isolamento térmico e acústico

A depender do objetivo de uso, o container precisará receber um revestimento especial para o isolamento térmico e acústico. Isso ocorre principalmente quando será utilizado para habitação, já que o material com que a caixa é fabricada aquece bastante.

Para controlar a temperatura dos containers, existem várias opções de revestimento, como a lã de rocha, o painel isotérmico, o gesso acartonado etc. Em caso de moradia, também vale a pena abrir grandes janelas, até mesmo para aproveitar a iluminação natural.

Tenha os documentos necessários

Embora ainda não haja legislação específica para processos construtivos com containers, a estrutura em si precisa de documentação: a Licença de Importação (LI) e o Documento de Importação (DI), para os usados. Além disso, todos precisam de uma placa de identificação.

Faça a instalação adequada

Depois de adquirir o seu container é importante realizar a instalação adequada. Para tanto, verifique se o local em que a caixa será colocada tem espaço suficiente para recebê-la e conte com uma equipe especializada para operar os guindastes e fazer os cortes de portas e janelas sem danificar a estrutura.

Antes da instalação, o proprietário do container precisa de uma regulamentação semelhante à das construções de alvenaria, incluindo topografia, desenho estrutural e mapas da rede de esgoto e de energia elétrica. Vale a pena se informar na prefeitura do município para conferir se não há outras exigências para o alvará.

Por que é importante contar com uma empresa especializada?

Depois dessa leitura, você já sabe um pouco mais sobre a história do container para obra, os principais tipos, as aplicações mais comuns e também as vantagens que esse tipo de estrutura oferece na construção civil. Além disso, também conferiu algumas dicas para escolher, comprar ou alugar e instalar as caixas.

Ainda assim, vale a pena contar com o o auxílio de uma empresa especializada, como a Miranda Container. Afinal, ninguém melhor do que uma equipe com experiência no assunto para ajudar a fazer as melhores escolhas. Assim, sua obra ganhará tempo, reduzirá custos e estará de acordo com os princípios de sustentabilidade.

Uma empresa experiente e que é referência no mercado é a melhor opção para uma consultoria completa. Você pode tirar dúvidas sobre todas as etapas de aquisição e instalação, além de receber orientações sobre o tamanho adequado ou o acabamento externo do container, por exemplo.

Viu só como o container para obra é uma excelente solução? Independentemente do objetivo de uso, do tamanho necessário ou do modelo, essa estrutura modular e resistente oferece muitas vantagens no setor da construção civil. Portanto, vale a pena investir na tendência e conseguir melhores resultados no seu projeto.

Para conferir as novidades no uso de containers assine a nossa newsletter. Assim, você será avisado por e-mail sempre que publicarmos um novo conteúdo no blog.