Conheça as 5 principais doenças do solo

Conheça as 5 principais doenças do solo

A produção agrícola depende de fatores como disponibilidade de água e nutrientes, temperaturas adequadas para o cultivo e sementes de boa qualidade. No entanto, a existência de pragas e doenças do solo podem comprometer drasticamente a produtividade.

Dessa forma, conhecer esses adversários da boa safra é essencial para o sucesso da lavoura. Só assim é possível preparar-se para evitá-los ou estar pronto para o devido controle se aparecerem.

Continue a leitura do post e conheça as principais pragas e doenças do solo.

1. Tombamento

O tombamento é uma doença provocada por um fungo, cujo nome científico é Rhizoctonia solani. Esse microrganismo sobrevive no solo e coloniza a base do caule das plantinhas bem jovens.

As plantas atacadas sofrem um estrangulamento na base do pequeno caule ainda em desenvolvimento. As raízes também podem ser bem afetadas, resultando em uma falta de sustentação para a planta, que tomba — daí o termo “tombamento”.

A doença ataca diversas culturas de interesse econômico como milho, soja e feijão, entre outras. Seu controle deve ser feito com a utilização de sementes sadias e certificadas, além do tratamento com fungicidas apropriados. Práticas culturais como rotação de culturas também são recomendadas.

2. Antracnose

A antracnose é uma doença que pode ser provocada por diversos microrganismos. Na cultura da soja, de grande importância econômica, essa enfermidade resulta da ação do fungo Colletotrichum dematium, que sobrevive no solo e se propaga com as sementes da própria planta infectada.

Sua ação pode provocar a necrose dos tecidos do caule da planta jovem, assim como interferir na formação da vagem. Na verdade, esse fungo age em qualquer fase do desenvolvimento da planta, provocando grandes perdas na lavoura.

Para seu controle, as sementes devem ser tratadas antes do plantio. No cultivo, devem ser adotadas práticas como maior espaçamento entre as linhas e a rotação de culturas.

3. Fusariose

A fusariose — também conhecida como podridão dos grãos — é provocada pelo fungo Fusarium moniliforme e ataca as culturas de arroz, milho, algodão e outras. Há, também, outras espécies agindo sobre culturas diversas como o abacaxi.

Além de causar a podridão do colmo (ou caule) da planta, ela age também sobre a plântula jovem e os grãos ainda nas espigas. Sua ocorrência é registrada em todas as áreas onde o milho é cultivado.

O método mais eficiente para se evitar a fusariose é utilizando apenas sementes de cultivares resistentes à doença. A utilização de uma adubação equilibrada e a colheita na hora certa ajudam a reduzir a intensidade do problema, quando ocorrer.

4. Lagarta elasmo

A lagarta elasmo é assim chamada em razão de seu nome científico — Elasmopalpus lignosellus. É também conhecida como broca do colo, uma vez que ataca a base do caule das plantas ainda muito jovens, provocando a murcha seguida de morte.

Nas plantas que sobrevivem, a larva penetra no interior do caule e consome os tecidos internos, inviabilizando a produção. Sua ação sobre as culturas de soja, milho, feijão, arroz e outros cereais provoca falhas na lavoura, reduzindo a produtividade.

O controle da lagarta elasmo deve ser feito com o tratamento das sementes antes da semeadura ou com aplicação de inseticida no sulco de plantio. Após a germinação, pode ser utilizada a pulverização de inseticidas ao pé da planta.

5. Corós

Corós são larvas de besouros que assumem a forma de um “C”. Existem diferentes espécies cujo desenvolvimento da fase larval se dá no solo e atacam as raízes, em especial da soja e do milho.

Em sua ação de alimentar-se, as plantas ainda muito pequenas são puxadas para dentro do solo ou secam e morrem. Quando sobrevivem, elas apresentam produção muito baixa.

As medidas adotadas para o controle do coró envolvem o tratamento com sementes e a aplicação de inseticidas no solo. As práticas culturais de aração e gradagem com discos auxiliam no controle mecânico desses insetos, cortando-os ou expondo-os aos raios solares.

Como vimos, conhecer as principais pragas e doenças do solo é imprescindível para tomar as providências antes de plantar as sementes, como seleção de variedades resistentes, tratamento prévio e preparo para o plantio.

Gostou do post? Então, aproveite para saber mais sobre como usar a tecnologia em propriedades rurais!