Agricultura sustentável: entenda o conceito e os benefícios

Agricultura sustentável: entenda o conceito e os benefícios

Nas últimas décadas, a noção de sustentabilidade passou a ser melhor difundida e aplicada também em atividades consideradas degradantes ao meio ambiente, como o agronegócio. Deixando o desconhecimento de lado, os benefícios do desenvolvimento sustentável no campo já provaram que é possível aliar respeito ao meio, contando com resultados positivos para os agricultores.

Assim, é fundamental que meio ambiente e economia caminhem juntos. Por essa lógica, para expandir uma área industrial ou uma plantação, é preciso incorporar uma agricultura que seja facilmente implementada no dia a dia de uma fazenda, a fim de garantir melhor qualidade de vida no campo.

Continue a leitura e confira o que é e quais são os principais benefícios do desenvolvimento sustentável. Confira!

O que é a agricultura sustentável

A agricultura sustentável é um conceito usado para definir a relação entre as práticas da agricultura e as de sustentabilidade. Dessa forma, a atividade econômica da agricultura permite respeitar o meio ambiente, ao mesmo tempo, em que garante sua viabilidade financeira, obtendo maior equilíbrio entre ambas as partes.

Para que a agricultura sustentável seja uma realidade, é preciso adotar algumas práticas na terra para diminuir o impacto causado ao meio ambiente e desenvolver soluções que possam ajudar nesse processo.

Dentre elas, está diminuir o uso de adubos químicos, fertilizantes e pesticidas nos alimentos, criar formas de reúso da água da chuva para alimentar o sistema de irrigação da fazenda, usar fontes de energia limpa, dentre outras.

Boas práticas sustentáveis para você aplicar

Veja, agora, algumas das melhores estratégias para trazer mais sustentabilidade para a produção do seu negócio. Confira!

Controle de pestes por vias naturais

Nos últimos 10 anos, o Brasil esteve à frente do ranking mundial de consumo de agrotóxicos. Esse tipo de produto químico tem sido usado em larga escala nas plantações. Isso mesmo com comprovações científicas de que podem causar problemas de saúde nos consumidores e no meio ambiente, com contaminação da terra, água e ar, por exemplo.

Além disso, diversos agrotóxicos proibidos, na União Europeia e nos Estados Unidos, são utilizados em larga escala nas lavouras brasileiras. Uma solução sustentável para  o controle de pragas e pestes nas plantações é o uso de pesticidas naturais. Dependendo da ocorrência de insetos na lavoura, é possível desenvolver produtos naturais à base de alho, folhas de tomate, tabaco, urtiga, estrume, dentre outros orgânicos.

Uso de containers

O reaproveitamento de materiais é uma das boas práticas da sustentabilidade que também podem ser utilizadas na agricultura. Uma das maneiras de diminuir o impacto no meio ambiente é utilizar materiais reaproveitáveis, como o container marítimo.

Esse material só pode ser empregado para transporte marítimo por 10 anos e, depois desse prazo, é “aposentado” da função. Na agricultura, no entanto, ele pode ser utilizado como armazém para grãos, sementes, depósito de materiais ou, até mesmo, como moradia.

Nesse caso, como a estrutura já está pronta, não é necessário o gasto de matéria-prima para construir uma de alvenaria, por exemplo, o que diminui o impacto ambiental no campo. Outra vantagem, é o fato de o container “liberar” o produtor do trabalho e do custo de uma obra padrão. A estrutura já vem pronta e, dependendo do projeto, exige apenas alguns acabamentos.

Para se ter uma ideia, geralmente em apenas um dia já é possível fazer todas as ligações (água, esgoto, energia etc.) e ter uma estrutura montada, sem a necessidade de alojar pedreiros na obra. Assim, a estrutura fica pronta rapidamente, ao contrário daquelas de alvenaria que demandam de 6 a 8 meses para serem concluídas.

Rotação de culturas

Uma terra que serve para plantação de uma única cultura, como feijão, milho ou soja, tende a provocar maior degradação do solo e gerar uma série de prejuízos. Isso pode acontecer por meio da queda da produtividade, já que, com o solo mais pobre, a produção é menor. Consequentemente, a colheita fica vulnerável a insetos e outras pragas.

Nesse caso, a agricultura sustentável sugere que seja feita uma alternância no plantio de determinadas espécies em um mesmo terreno, garantindo melhor qualidade de solo e do próprio produto que será colhido naquele local.

Fontes de energia renováveis

Garantir que a energia utilizada no campo seja limpa e renovável é outra boa prática para incluir a sustentabilidade no agronegócio. Fontes à base de carvão ou de hidrocarbonetos, como o petróleo, são altamente poluidoras. No entanto, é bastante possível criar soluções sustentáveis para garantir energia às atividades corriqueiras do campo.

A energia solar tem sido cada vez mais difundida e popularizada. Em regiões onde a incidência da luz do sol é frequente, pode ser considerado um bom negócio. Outras fontes de energia, como a biomassa, produzida a partir do bagaço da cana-de-açúcar, ou o biodiesel, são soluções igualmente importantes para a adoção de práticas sustentáveis na agricultura.

Internet das coisas no campo

O conceito de agricultura inteligente tem ficado mais comum à medida que empresas investem em soluções tecnológicas baseadas em Inteligência Artificial (IA) ou Internet das Coisas, voltadas especificamente para o contexto rural. A expectativa é de uma verdadeira revolução no setor, melhorando os resultados, a produtividade e o faturamento que a tecnologia pode ajudar a trazer.

Uma delas já vem acontecendo pela Agricultura de Precisão (AP). Com o monitoramento de dados em tempo real, obtidos por meio de sensores, GPS e drones, é possível monitorar aspectos, como a qualidade do solo, nível da chuva e até a quantidade de água utilizada na irrigação. A partir dessas informações, o agricultor pode decidir qual a melhor hora de plantar ou colher e otimizar seus resultados. Incrível, não?

Sistema de plantio direto

No sistema de plantio direto, as sementes são colocadas na terra não revolvida, sem aração ou gradagem prévia do solo. O plantio, nesse caso, é realizado abrindo-se um pequeno espaço de profundidade e largura, suficientes para garantir uma boa cobertura e contato da semente com o solo, o que permite a germinação direta.

Esse sistema é bastante eficiente também para o controle da erosão. Pois, mantém os resíduos vegetais sobre a terra e promove, ainda, a mobilização mínima do solo. Portanto, o plantio direto consiste em três etapas:

  • colheita e distribuição dos restos da cultura plantada anteriormente, para a formação de palha;
  • aplicação de pesticidas naturais para o controle de pragas;
  • plantio.

É importante destacar que deve-se ter um controle rígido das plantas daninhas, pois as capinas mecânicas não são utilizadas para revolver o solo.

Criação de sistemas de captação de águas das chuvas

Atualmente, a agricultura é a principal usuária dos recursos hídricos disponíveis, o que equivale a 70% do consumo mundial. Por isso mesmo, os agricultores devem ter a preocupação de implementar sistemas de gestão e planejamento que considerem o uso adequado e sustentável da água.

A captação de água da chuva, nesse caso, é uma alternativa economicamente viável para o produtor rural. O sistema é relativamente simples de ser implementado, bastando instalar alguns materiais para a coleta, como calhas, canos de PVC, bambu etc. Antes de armazená-la, entretanto, a água deve ser filtrada para eliminar qualquer tipo de sujeira, podendo ser utilizada posteriormente na irrigação e na limpeza dos galpões.

Sementeiro de cultura para adubação verde

A adubação verde é um sistema que incorpora restos de plantas forrageiras ou ervas daninhas no solo, a fim de repor a matéria orgânica necessária para o melhoramento da terra. Assim, ela proporciona um aumento na infiltração e retenção de água, fundamental para a melhora da fertilidade.

Os animais e as leguminosas também podem aproveitar bastante desse tipo de tecnologia sustentável, uma vez que ela é responsável pela fixação de nitrogênio no solo. As principais culturas utilizadas nessa prática são o milheto, a mucuna-preta, o feijão-caupi, a leucena, o sorgo, entre outros.

Compostagem

A técnica de compostagem consiste em aproveitar os restos de resíduos orgânicos para produzir adubo. Ela ajuda o agricultor a aumentar a produtividade e reduzir consideravelmente os custos. Assim, deve-se realizar a coleta dos resíduos adequadamente para suprir boa parte da demanda por insumos, sem afetar os recursos do solo e do meio ambiente.

O composto gerado é o resultado da degradação biológica da matéria orgânica. Com ele, é possível suprir a terra com diferentes nutrientes minerais, como nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, entre outros. Esses componentes são assimilados em maior quantidade pelas raízes das plantas, favorecendo a variedade de adubos disponíveis para as culturas.

Recuperação de pastagens

As pastagens têm a função de fornecer proteção ao solo contra a erosão, garantindo também a manutenção da cobertura, que é uma forma eficiente de assegurar um bom suporte para a criação de gado no terreno. Para isso, deve-se fazer a recuperação desse recurso, visando conciliar a pecuária com a produção de grãos em um mesmo local.

Implementando essa técnica, o agricultor consegue utilizar a área de plantio de maneira mais intensiva, reduzindo os custos de produção e, ainda, promovendo o aumento considerável dos lucros em sua produção agrícola.

Principais benefícios da agricultura sustentável

Sem dúvida, cada vez mais as pessoas têm parado para prestar atenção na qualidade e na procedência do alimento que chega na mesa. A busca por alimentos orgânicos ou oriundos de agroflorestas, por exemplo, tem sido cada vez mais constante conforme as pessoas percebem que esses alimentos são mais saudáveis.

Isso é bom para o consumidor, mas também funciona para o agricultor. Adotar as boas práticas da agricultura sustentável é não só contribuir para um mundo com mais qualidade de vida, mas ter a certeza de produzir um alimento com maior valor agregado.

Listamos alguns benefícios diretos que você pode adquirir ao adotar essas práticas sustentáveis e de forma correta na agricultura:

  • melhoria da gestão de água, da qualidade do solo e da vida no campo;
  • aumento do valor agregado do produto e da diversidade nas lavouras;
  • diversificação da biodiversidade local.

Viu só como é interessante aderir a uma agricultura ambientalmente correta? Basta investir em boas práticas que permitam acabar com hábitos antigos e usufruir de todos os benefícios do desenvolvimento sustentável. Lembre-se de que a aplicação das técnicas é a garantia da produção de alimentos cada vez mais saudáveis e limpos para as próximas gerações.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite a visita e entenda o que você precisa saber para utilizar containers em sua fazenda. Até a próxima!