Como controlar a temperatura de um container? Nós te mostramos

Como controlar a temperatura de um container? Nós te mostramos

Em um país tropical como o Brasil, em que o calor é assunto frequente na maior parte do ano, a possibilidade de controle da temperatura de um container é frequentemente questionada por quem quer fazer uso do local para construção ou armazenamento — e com razão!

O controle da temperatura interna de um container pode ser fundamental para o cumprimento de um objetivo. Por conta disso, neste artigo trouxemos informações sobre quais são as principais formas de controlar a temperatura de um container. Fique ligado!

É possível controlar a temperatura do container?

Sim, é possível. Por mais que a maioria dos containers tenha como base os aços corten ou inox — materiais que, em si, são pouco eficazes no controle da temperatura interna dos ambientes —, há algumas incrementações que ajudam a conferir melhor isolamento térmico e também acústico aos containers.

Dessa forma, as diferentes variações de isolantes disponíveis no mercado possibilitam um leque mais vasto para atender às necessidades tanto de quem quer empregá-los na construção de instalações quanto de quem quer utilizá-los para o armazenamento. Abaixo listamos dois dos principais tipos de container:

Reefer

O primeiro deles é o container reefer, modelo fabricado com aço inox ou duralumínio, que conta já com um isolamento térmico de fábrica. Isso ocorre porque seus modelos têm um revestimento de 7cm de poliuretano injetado (PU) — o mesmo material que veda as paredes da geladeira — em todas as laterais e no teto, o que protege seus ambientes internos contra o calor e os ruídos externos.

Por contar com essa composição desde sua produção, o container reefer costuma ter um melhor tempo de entrega do que os demais, já que não é necessário requisitar outros acabamentos para o controle de temperatura em suas laterais. Geralmente as mudanças feitas nesse tipo de container são apenas estéticas ou espaciais (casos em que são colocadas divisórias no container, seu espaço é reorganizado etc.).

O container reefer é amplamente utilizado para o armazenamento de sementes em fazendas. Devido à necessidade das sementes serem abrigadas em uma temperatura ambiente de 15ºC para se manterem férteis, é acoplado um ar-condicionado em uma das laterais do container, de modo que a temperatura interna possa ser ajustada.

Dry

O container dry, por sua vez, é um modelo mais rústico do que o reefer. Por ser fabricado a partir do aço corten — uma liga de aço 75% mais resistente que o aço convencional —, ele é bastante utilizado para aplicações diversas e atende, inclusive, à demanda de muitos projetos personalizados.

Em sua constituição original, o container dry é todo fechado e possui apenas duas portas traseiras para a efetuação de carga e descarga. Por conta de seu modelo básico ser mais barato do que o container reefer, o dry é um tipo amplamente empregado em casos em que a temperatura interna não influencia muito no objetivo do negócio — ou quando a temperatura externa não é tão alta.

Caso um controle mais rigoroso da temperatura seja necessário, o container dry suporta uma série de incrementações — as quais apresentaremos a seguir —, que contribuem significativamente para o seu isolamento térmico.

Como controlar a temperatura?

Agora que já apresentamos os containers dry e reefer — dois importantes tipos que atendem a interesses diversos —, é hora de pontuar algumas alternativas interessantes para controlar a temperatura dos containers.

Elas são de suma importância tanto para garantir a melhor qualidade de armazenamento para materiais não tão sensíveis quanto para prover melhor conforto a quem quer utilizar-se dos containers para construções diversas.

Lã de rocha

A primeira dessas alternativas é a lã de rocha que, por mais que o nome engane um pouco, é um isolante térmico e acústico bastante leve, aplicado em todas as laterais e no teto dos containers dry. A lã de rocha é composta pela junção da rocha diábase com outros materiais reciclados por meio de um processo de fusão a uma temperatura de 1500°C.

Após esse procedimento, o resultado são fibras que, ligadas a uma resina e posteriormente prensadas, tomam a forma desejada. No geral, a lã de rocha nos containers contém a espessura de 5 cm a 7 cm em cada uma das laterais.

Essa variação ocorre por conta dos diferentes tipos de revestimentos que ela recebe. Normalmente os materiais mais utilizados são cerâmica, gesso acartonado e PVC, sobretudo para aplicações de containers em construções.

Um importante detalhe é que, diferentemente de outros materiais para revestimento termoacústico, a lã de rocha é incombustível. Isto é, ela não sofre dano do fogo.

Painel isotérmico

Uma alternativa de incremento também empregado nos containers dry é o painel isotérmico, formado por uma camada de 5 cm de isopor/EPS entre duas camadas de alumínio. Isso possibilita um isolamento térmico e acústico bastante eficaz, o que faz com esse tipo de painel seja utilizado em diversas áreas.

Sua aplicação é indicada para câmaras frigoríficas e locais que necessitam do controle da temperatura. Além disso, eles podem ser empregados também em substituição à alvenaria, já que, por conta da agilidade na montagem e da economia de material e de mão de obra, optar pelo painel isotérmico acaba sendo uma alternativa bastante econômica.

Motor de refrigeração

Por fim, uma última alternativa — e que é um pouco diferente das outras duas apresentadas acima — é o motor de refrigeração, peça que é especialmente utilizada em casos específicos em que se quer transformar o container em uma câmara fria. Para situações em que o objetivo seja esse, os motores de refrigeração são essenciais para a conservação dos produtos dentro dos containers.

Seja para armazenar carnes, massas ou alimentos diversos, a adoção do motor de refrigeração, ainda que sirva para casos mais específicos, é uma alternativa bastante interessante para fazendas que precisam estocar grandes quantidades de alimento. Os motores de refrigeração acarretam em um custo de cerca de 10 mil reais a mais na compra do container.

E então, conseguiu entender como controlar a temperatura de um container? Entre em contato conosco e veja qual dessas alternativas melhor atende às suas necessidades!